First slide First slide First slide First slide First slide First slide

Venda de sucos e lanches caprichados resiste ao lado de um dos shoppings mais antigos da cidade

Texto e fotos por: Bianca Tracanella

  • Lanche
  • Acessibilidade
  • Estacionamento

Atualização em junho/2020: Este lugar está fechado temporariamente devido à pandemia de COVID-19.

A Frutaria Continental, no Parque Continental, Zona Oeste de São Paulo, é um dos poucos lugares que priorizam produtos como aquela fruta fresquinha que pode ser saboreada a qualquer hora do dia.

O estabelecimento, que funciona 24 horas, é a primeira opção de muita gente, mesmo estando ao lado do Shopping Continental, o segundo mais antigo da capital, aberto em 1975, e que conta hoje com mais de duzentas lojas e uma ampla praça de alimentação.

Para quem frequenta a frutaria, não é necessário pagar estacionamento. Além disso, como explica Douglas Carvalho, 47 anos, um dos motivos para preferir os lanches de lá em vez das opções do shopping é a oferta de uma grande variedade de opções em um único local.

“No shopping, você vai ter as opções separadas: uma loja que vende suco natural e outra que vende o lanche. No final, vai sair muito mais caro”, explica ele, que frequenta rotineiramente o local há mais de 15 anos. “A Frutaria é mais povão, como a gente. Acho bem Prato Firmeza mesmo”, diz.

Érica Carolina, 18 anos, é sobrinha de Douglas e sempre que pode acompanha o tio para saborear algum lanche e os sucos, claro. “Aquece meu coração toda vez que eu me lembro do meu tio me trazendo aqui. Hoje eu posso até vir sozinha! Saber que a frutaria não fechou, nem tem pretensão de fechar, me deixa muito feliz. Espero mesmo que nunca feche. Ela é simples, mas especial”, diz a jovem.

Do cardápio, Érica diz já ter provado e aprovado quase tudo. “A gente já pediu o açaí, que é maravilhoso, os lanchões que vêm com tiras de bacon  bem fritinhas. Até a salada é gostosa!”, diz. O Prensadinho, lanche servindo o prato com muito catupiry, milho, tomate e três fatias de filé de frango assadas no pão de lanche, é o seu predileto. “Nada supera!”, diz empolgada.

Os sucos, as especialidades da casa, podem ser feitos com água ou leite e custam, em média, R$ 10. José Osmar, funcionário do estabelecimento, explica que todas as frutas são selecionadas em primeira mão e compradas no Centro Estadual de Abastecimento (Ceasa).

Preparados na hora, os clientes também podem escolher as frutas que ficam expostas na vendinha ao pedir o suco. “O legal de lá é que quando você pede um suco natural, eles saem da banquinha e pegam a fruta direto da frutaria. Você vê como a fruta está antes de o suco ser feito. É tudo fresquinho”, comenta Érica.

Preço Médio

R$ 6,00 a R$ 40,00

Como Chegar

Perto do Terminal Vila Yara.

Voltar

Pastelaryka

Pastelaria gerida por uma família evangélica se torna um ambiente seguro para casais LGBQT+ na Zona Oeste

MC’Sapé e Dub do Sapé

A Dub do Sapé traz, além de uma lanchonete que serve um tradicional X-Tudo perto dali, ritmos dos grandes remixes jamaicanos.

Pular para o conteúdo